Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

  • Seja bem-vindo, hoje é Quinta-Feira, 27 de Novembro de 2014

Doenças - Doenças da Pálpebra

Aumentar Letra
Diminuir Letra

BLEFARITE

É a inflamação das pálpebras. Pode ser causada por: má higiene das pálpebras, excesso de oleosidade produzida pelas glândulas palpebrais e infecção bacteriana. Os principais sintomas são: queimação e lacrimejamento, vermelhidão nas bordas palpebrais e escamas nas margens das pálpebras. O tratamento é clínico.   
 
HORDÉOLO
É uma infecção aguda da pálpebra. Pode ser externa ou interna. Chamada popularmente de terçol. É uma lesão dolorosa, com edema e hiperemia local. Geralmente se deve a uma infecção estafilocócica. O tratamento geralmente é feito com pomada de antibiótico e compressa morna.
 
hordeolo
 
CALÁZIO
É a inflamação das glândulas tarsais. É uma reação granulomatosa causada pela retenção da secreção glandular. Os sinais e sintomas, na fase aguda, são: dor, edema e hiperemia localizada. O tratamento pode ser clínico (pomada e compressa morna) ou cirúrgico.
 
XANTELASMA
São placas amareladas macias de tamanho variado, que podem aparecer na pálpebra superior e/ou inferior. Podem ser únicas ou várias. Acometem mais indivíduos de meia-idade ou idosos e podem estar relacionadas com um aumento nos níveis de lipídios sanguíneos (colesterol ou triglicerídeos). O tratamento é cirúrgico. 
 
TRIQUÍASE
Caracteriza-se pela alteração da direção do cílio que, emergindo normalmente do folheto palpebral anterior, encurva-se e toca o globo ocular. As causas são os processos inflamatórios e infecciosos que afetam a margem palpebral e os folículos pilosos (blefarite, Tracoma), doenças conjuntivais cicatrizantes (síndrome de Stevens-Johnson) e trauma. Os sintomas são: sensação de corpo estranho, fotofobia, lacrimejamento e secreção seromucosa. A escolha do tratamento depende da quantidade de cílios e da causa; normalmente é cirúrgico.
 
triquiase
 
ENTRÓPIO
É a inversão da margem palpebral (pálpebra para dentro), levando os cílios em direção ao globo ocular. Pode ser congênito, que é muito raro, ou adquirido. A forma adquirida pode ser involucional (senil) ou cicatricial. O tratamento é cirúrgico. 
 
entropio
 
ECTRÓPIO
É o inverso do entrópio: é a eversão da margem palpebral. Pode ser congênito ou adquirido. A forma adquirida mais freqüente é a involucional, ou senil. Os sinais e sintomas são: conjuntivite crônica, ceratite, lacrimejamento e dor. O tratamento é cirúrgico.
 
ectropio
 
PTOSE PALPEBRAL
A margem da pálpebra superior situa-se abaixo da sua posição normal, ou seja, é a queda da pálpebra superior. Pode ser congênita ou adquirida. A forma adquirida involucional (senil) é a mais freqüente. Pode ser unilateral ou bilateral. Dependendo do grau de ptose palpebral, o paciente pode apresentar comprometimento do campo visual. O tratamento é cirúrgico, sob anestesia local e alta hospitalar logo após o procedimento, havendo técnicas adequadas e bastante eficientes para cada caso.
 
ptose palpebral
 
TUMOR PALPEBRAL
As pálpebras podem ser sítio de vários tipos de lesões tumorais benignas e malignas. O diagnóstico destas lesões é importante para que tratamento adequado seja realizado. Nas pálpebras, o tumor maligno mais comum é o carcinoma basocelular. Afeta preferencialmente indivíduos de pele clara, com antecedentes de exposição ao sol. Era observado mais em paciente idosos (50-80 anos), porém tem-se diagnosticado este tumor em pacientes mais jovens. As lesões mais comuns são: elevadas, firmes, com telangiectasias na superfície; durante o crescimento, o centro pode se tornar ulcerado e com crostas na superfície. O tratamento é cirúrgico. O anatomopatológico deve ser realizado para confirmar o diagnóstico e a remoção completa da lesão. 
 
tumor palpebral
 
DERMATOCÁLASE
É o excesso de pele palpebral; pode acometer as pálpebras superiores e/ou inferiores e estar associado as bolsas de gordura volumosas. Pode ser um problema estético e/ou funcional. A principal queixa é peso nas pálpebras. O excesso de pele das pálpebras superiores pode reduzir o campo visual superior. O tratamento é cirúrgico. 
 
dermatocalase
Marque a sua consulta!

Receba Newsletter

Digite seu Email
Enviar e-mail

Atendemos urgências oftalmológicas (particular e alguns convênios), entre

7h e 23h, todos

os dias do ano

Saiba mais

Horário de Funcionamento: de Segunda a Sexta das 7h às 19h e Sábado das 8h às 12h


Unidade São José: Rua Campo do Brito, 995, Bairro São José CEP 49020-380 | Rua Const. João Alves, 350, Bairro São José CEP 49020-340 | Aracaju - Sergipe
Unidade Centro Médico Jardins: Av. Min. Geraldo Barreto Sobral, 2131, Térreo, Bairro Jardins CEP 49026-010 | Aracaju - Sergipe
Unidade Lagarto: Rua Raimunda Reis, 140, Bairro Laudelino Freire (em frente a Praça dos 03 Poderes) CEP 490400-000 | Lagarto - Sergipe


Copyright© HOS - Hospital de Olhos de Sergipe - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: WebD2